Author

Bárbara

Browsing

Actualizações da vida!

Muitas são as noites em que após estar a casa a dormir me lembro de vos vir cá contar as coisas de que se tem feito a nossa vida, mas depois acabo por não o fazer! Tenho tantas histórias em atraso que isso acaba por servir como desculpa para não escrever! 

Fomos de férias para um sítio incrível e quero muito contar-vos isso! 


A Flor já tem seis meses (!!!) , dois dentes e já está no infantário! 😳 isto tudo! Imaginem! 

O Vicente está cada vez mais crescido e com um discurso cada vez mais maravilhoso. 

A semana passada estivemos TODOS doentes, virose! E digo-vos que me senti para morrer! Custa-nos mais a nós que a eles esta coisa das viroses não é?! Jizas! 

A nossa casa nova está “quase” pronta. Está na fase das especialidades! O carpinteiro, o electricista, o pintor e parece que se não formos todos os dias lá a coisa sai sempre ao lado! Estamos tão mas tão ansiosos e gostávamos tanto de já lá passar o natal!🤞

Os projectos continuam a fazer-me ter vontade de fazer mais e melhor! E espero ter muitas novidades sobre eles para breve 😀

E pronto, assim em algumas linhas, ficam a par da vida. Amanhã há mais! Espero! 😘

Chester!

Este é um blog sobre maternidade mas a maternidade é feita por mães que antes de mães são pessoas.

Essas pessoas neste blog somos nós, eu, a Sandra e todos os que de alguma forma participam aqui.

Já por alguma vezes falamos de assuntos completamente afastados da maternidade.

É por isso que hoje, e apenas passados 2 meses do seu suicidio, vos falo do Chester! 

Quem é o Chester? O Chester é a voz possante das canções dos Linkin Park. A banda que faz parte de todos os que são da minha geração. Gostássemos mais ou menos deles. 

O primeiro álbum deles foi-me oferecido por um amigo e confesso que não fiquei logo fã. Os anos passaram e o gosto foi crescendo.

O pai cá da miudagem é fã, daqueles a sério. E assim os Linkin Park entraram cá em casa para ficar. Fazendo parte da nossa banda sonora caseira.

Perder o Chester foi uma chapada! Saber que se enforcou foi ainda mais violento. 

Foi estranho. Foi duro e ainda hoje nos comove como se sentíssemos dor. 

O último álbum, dizemos agora, parece premonitório. Tal como o Bowie. Mas o Bowie estava doente. O Chester também, de forma diferente. 

A depressão não pode ser vista como a doença da moda ou inofensiva. É preciso tratar e nem sempre a medicação é a única forma de a combater. 

Quando se sentirem assim e na falta de vontade, coragem ou disponibilidade de falarem com quem vos está próximo, peguem no telefone e falem com os voluntários atrás destas linhas de ajuda:

SOS Voz Amiga-Lisboa

Atendimento das 16 às 24h

 21 354 45 45/ 91 280 26 69/ 96 352 46 60 

SOS – Serviço Nacional de Socorro-Portugal, Europa

112

SOS Telefone Amigo-Coimbra

 239 72 10 10

SOS Estudante-Coimbra

 808 200 204

Escutar – Voz de Apoio- Gaia

 22 550 60 70

Telefone da Amizade-Porto

 22 832 35 35

A Nossa Âncora-Sintra

 219 105 750/ 219 105 755

Departamento de Psiquiatria de Braga- Braga

 253 676 055

O Chester alertou-nos para a realidade da depressão e do suicidio. Foi duro!

E hoje, dois meses depois, escrevo sobre ele e deixo-vos a letra da música one more light deste último álbum.  O videoclip póstumo pode ser visto aqui

Fod@-s&! 🙁


One more light

Should’ve stayed, were there signs, I ignored?

Can I help you, not to hurt, anymore?

We saw brilliance, when the world, was asleep

There are things that we can have, but can’t keep
If they say

Who cares if one more light goes out?

In a sky of a million stars

It flickers, flickers

Who cares when someone’s time runs out?

If a moment is all we are

We’re quicker, quicker

Who cares if one more light goes out?

Well I do
The reminders pull the floor from your feet

In the kitchen, one more chair than you need oh

And you’re angry, and you should be, it’s not fair

Just ‘cause you can’t see it, doesn’t mean it, isn’t there
If they say

Who cares if one more light goes out?

In a sky of a million stars

It flickers, flickers

Who cares when someone’s time runs out?

If a moment is all we are

We’re quicker, quicker

Who cares if one more light goes out?

Well I do
Who cares if one more light goes out?

In a sky of a million stars

It flickers, flickers

Who cares when someone’s time runs out?

If a moment is all we are

We’re quicker, quicker

Who cares if one more light goes out?

Well I do
Well I do”

Parabéns Gasparzinha! 

Setembro é um mês cheio cá no blog, hoje é o aniversário da Sandra!!!

Parabéns querida amiga! ❤️

Gosto tantinho de ti!  


Acho que só temos uma foto juntas! 

Com sorte estamos juntas uma vez por ano!

Falamos por telefone uma ou outra vez entre os meses.

Atiramos beijinhos via WhatsApp uma à outra quando passamos nas estações de serviço das auto-estradas perto das nossas casas! 

Vivemos a 300km de distância.

Mas estamos tão presentes na vida uma da outra que não dá para explicar! ❤️ 

Sentimos quando está tudo bem ou quando parece que está tudo mal! 

Respeitamos-nos muito. 

Somos cúmplices e confidentes.

Acreditamos no valor uma da outra.

Desejamos a maior Felicidade todos os dias.

Somos amigas! Parabéns miúda! 

O pijama? 

Adormecer o miúdo.

Dar banho à miúda.

Adormecer a miúda.

Comer.

Ver meia hora de TV.

Ir cobrir a miúda e o miúdo.

Fazer a higiene.

Chamar os gatos que ainda andam na rua.

Pegar no miúdo ao colo para fazer xixi.

Deitar o miúdo.

Deitar-me.

Fechar os olhos.

Abrir os olhos. Levantar-me! 

Deitei-me vestida com a roupa do dia. 😩 

Esqueci-me de vestir o pijama. 

Boa noite para vocês também! 

Desporto radical 

Há um desporto radical muito perigoso que as mães fazem com frequência. Chama-se “acabar com as birras” e consiste em agarrar num dos filhos enquanto este esperneia e tentar que ele pare de gritar, espernear, pontapear e mais coisas acabadas em ar. 

A mãe além de segurar o filho endiabrado tem que respirar fundo, manter a calma e tentar fugir às pernas loucas que voam entre o espernear.

Quando não se consegue escapar, fica-se assim:


Continuação de boas férias 😂 

Precisamos de sítio para as férias! 

Pois é, férias! 

Muitos de vocês já foram ou já tem tudo programado não é?

Pois cá por casa: nada, zero, nicles! 

E pior, os sítios que os nossos amigos recomendaram obviamente já estão lotados!

Então vai daí e lembrei-me de pedir ajuda às melhores pessoas que conheço no que toca à partilha de experiências! Vocês! 😁

Como já devem ter reparado agora somos quatro! Então era bom arranjar um sítio com duas camas de casal (quartos familiares) ou uma cama de casal e um sofá cama. 

Um sítio com kitchenette ou cozinha partilhada. Na altura das férias estamos em época de sopas! (Já??) 

E a imprescindível piscina! A praia este ano por causa da bebé está praticamente interdita. 

Ah e como vamos de férias assim já para lá do meio de setembro o ideal era irmos para o sul, mas não vamos! Lembram-se de vos ter contado o quanto os meus filhos gostam de andar de carro? Pois! Então esse lugar maravilhoso que vocês nos vão recomendar fica a 1:30 no máximo do Porto! 

Parece difícil? Pois. 

Conto com a vossa ajuda!!! Venham daí essas sugestões! 

As dúvidas! 

E quando o amor não chega?

E quando as nossas forças parecem perdidas na nossa mente e não nos lembramos de mais nada a não ser gritarmos? 

E quando achamos que estamos a fazer tudo mal e que tudo está mal? 

E quando a frustração se agarra a nós e não conseguimos gargalhar?

É quando nos deitamos que pensamos que achávamos que era fácil criar, educar, amar… que tontos éramos antes de sermos pais. 

Grátis ao fim-de-semana! 

Este fim-de-semana aproveitamos para ir ao parque biológico de gaia.

É um passeio que fazemos todos os anos, muitas vezes mais que uma vez por ano. 

Este último fim-de-semana aproveitamos a fantástica oportunidade que o parque tem para o mês de Julho e fomos gratuitamente.

A entrada no parque não é cara, 3€ os adultos e 1€ as crianças, mas na verdade ao irmos  em família acabamos por ser seis adultos e uma criança pagante e assim poupamos 19€! 

Levamos lancheiras e fomos com muita calma aproveitar o parque e em vez de usarmos o parque da merendas comemos pelo caminho. Há um Spot muito bom junto aos milhafres, tem dois bancos e um caixote do lixo. Comem e deixam tudo limpinho 🙂

O parque esse dispensa apresentações! São praticamente 3km de muita natureza. Os animais esses são desde as galinhas aos bisontes. Todos os animais do parque não conseguiriam viver livremente, de outra forma não estariam ali. 

O parque, para quem não sabe, tem uma política para acolher animais. Aceita todos os animais à exceção de cães e gatos. 

Tartarugas que deixam de ser desejadas em casa, gaivotas feridas, eu própria já levei lá um pássaro que apanhei tombado na berma da estrada. Os animais são recebidos e tratados e se conseguirem sobreviver livremente são soltos quando recuperados. Quando deixamos os animais recebemos ainda um registo e podemos aceder a uma base de dados para sabermos o que aconteceu com esse animal.

Não tenho a certeza mas acho que em alguns casos vão ao local recolher o animal também. 

O parque vale a pena, e vocês deviam aproveitar que ainda há mais dois fins-de-semana com as entradas grátis. 

Não se assustem com os 3 kms, fazem-se bem e se levarem carrinho a maior parte do caminho é asfaltado! Mas não se esqueçam de protector solar, chapéu e água. Não há bebedouros pelo caminho. Mas há pelos menos duas casas-de-banho durante o percurso. 

Ah e se acham que vai estar muita gente, sim vai, mas o parque é suficientemente grande 🙂 quando chegamos estava muita gente logo no início do percurso mas depois paramos para almoçar e a partir daí fizemos o parque como um dia normal, sem  notarmos aquela confusão inicial. 

Aproveitem! 

O peixeiro! 

Cá na rua ainda passam aquelas carrinhas que vendem peixe, mercearia, etc. O peixeiro então passa todos os dias da semana por volta das dez horas. 

No outro dia, estávamos atrasados para sair e o miúdo ainda estava cá em casa quando se começa a ouvir a buzina do peixeiro lá ao fundo e que se manteve insistentemente a buzinar até chegar ao largo. (Admito que quando a miúda está a dormir me põe os nervos em franja!) 

Espantado o miúdo perguntou: ” Mãe, o que é isto??” 

Respondi que era o peixeiro.

Fascinado olhou para mim e disse: “Oh mãe um dia destes quero andar de peixeiro!” 😂😂