Faz hoje 17 anos e tive um dos dias mais estranhos da minha vida. Tinha uma loja para inaugurar e um filho para nascer. Aconteceram as duas coisas no mesmo dia.

Tu, Sarrafooo apressado lembraste-te de sair a correr, porque a mãe Kika Veríssimo apanhou um esticão na montra das frutas tropicais e rebentaram-lhe as águas.

Seguiram-se horas muito complicadas.

Primeiro porque tive que ir levar o boxer a casa e esqueci-me de o deixar na varanda e à solta desmanchou-nos metade da casa, comeu meio telefone, 3 kg de cebolas e um chorrilho de disparates. Depois tinha que vos ir levar ao hospital Garcia de Orta, porque o trânsito estava parado por todo o lado e era o sítio mais perto para nasceres.

És um Incrível Almadense, um Cavalo de Corrida, um UHF mal sintonizado.

Fizeste-nos rir e chorar, saíste cheio de avarias, com o disco rigido empenado, ataques cardíacos, paralisias e o diabo a 4. Olhei para ti e dei-te o primeiro biberão e ainda estava tão alcoolizado da festa que fiz horas antes que acho que te embebedei com a minha respiração.

Percebi que tinhas nascido diferente, muito diferente do que estávamos à espera… só abrias um olho por causa da paralisia facial, mas quando o fizeste olhaste para mim e disseste “blhergh”. Por causa disso, durante o teu primeiro ano de vida, ganhaste a cognome de Blherguinho.

O primeiro ano da tua vida encheu-nos de sarilhos, hospitais, fisioterapias, médicos e juntas médicas. E tu, Sarrafo, foste galgando adversidades e deste-nos força para ir atrás de ti. Estiveste ligado a mil máquinas, em coma profundo e um dia resolveste dar-nos outra vez o prazer da tua companhia e acordaste, ao lado da tua avó Hélia, que rezava todos os dias por ti e por mim, porque rezar sabes que é coisa que faço tão bem como cantar ópera.

Ensinaste-me a viver. Ensinas-me a viver todos os dias. Ao fim de 17 primaveras, este é o 1º aniversário que não passamos juntos, mas estás bem com a “mãe bizológica” como lhe chamas, a mãe Kika, porque tens a mania das grandezas e resolveste arranjar outra mãe, a Mãe Supi Ana. Cada vez que sais de ao pé de mim, roubas-me o coração.

És uma das minhas duas obras primas, agora estraga-te não te esqueças.
Rock´n´roll!

Joe Best é o brabo pai do Ricardo. Chef extraordinaire e criador do projecto Da Cozinha.

Ilustração: My Simple Life

Comentários

Write A Comment