Esta semana li um artigo no site da revista Pais & Filhos brasileira em que a autora escrevia que nos cabia a nós, mães, educarmos os nossos filhos para que não sejam machistas.
Concordo plenamente!
Afinal de contas somos nós que lhes temos que ensinar que não há profissões de homens e profissões de mulheres, que não há brincadeiras de meninos e brincadeiras de meninas, etc.
Um rapaz pode vestir uma sweat rosa,  brincar com as irmãs às bonecas , como uma menina pode gostar de jogar à bola ou escolher engenharia mecânica na faculdade.

Isto pensando bem, dá imenso trabalho. Porque verdade seja dita, todos nós (mesmo que inconscientemente) dividimos e classificamos algumas coisas como de homem ou de mulher.

Eu ainda sorrio quando vejo uma mulher a conduzir um autocarro ou quando vejo um homem pronto para fazer uma depilação a uma senhora.
Admitam lá que este último nunca viram! Nem eu!

E estava eu a pensar nesse tal artigo, a meditar de como ia tentar conduzir essa educação, (sim, que só nos vale a pena tentar, que os miudos são como são e não como queremos), a pensar que cedo o miúdo vai começar a ajudar na cozinha,  quando tocam à campainha.

” – Olha é o Sr. do correio!” E trazia dois envelopes!
Num deles uns anjinhos lindos do Mateus, que em breve merecerá um post aqui no blog, e noutro uma linda boneca de trapos.

Encomendei esta boneca de trapos para ajudar a causa da Taissa. São lindas é verdade mas a intenção foi ajudar a Taissa que nasceu com Trissomia 18 e não comprar a boneca.

Assim que abri o envelope pensei logo: “Olha uma boneca de trapos, deixa ver uma menina a quem oferecer! Já sei, vou oferecer de prenda à Matilde que nasce entre hoje e amanhã!”
E depois ouvi os sininhos na minha cabeça: “Então porquê? Bonecas não são para meninos, não é?”

E pronto, meti a boneca para lavar e será brevemente apresentada ao miúdo!
Temos que começar por algum lado não é?Acho que ter uma boneca não faz mal a ninguém! 😉

Comentários

Bárbara
Author

Write A Comment