Os picos de crescimento são lixados. Crescer é difícil. Se tiver em conta a irritação e o choro dos últimos meses é mesmo MUITO difícil.

A verdade seja dita, já foi mais difícil.

Já foi desesperante. Já houve momentos de choro inconsolável que só parava com a ‘fábrica’ de leite sempre em produção (das primeiras vezes não fazia ideia do que o rapaz tinha por isso chorava mais do que comia).

Os pediatras falam que é normal a ocorrência destes ‘picos’ por volta da terceira semana, sexta semana, terceiro, sexto e oitavo mês. Como nós sabemos, cada bebé é um bebé e pode variar muito. Eu tenho a sensação que o S. tem um ‘pico’ uma vez por mês. Cá para mim, saiu a mim e tem um caso grave de TPM.

Hoje os ‘picos de crescimento’ são mais fáceis de identificar. Começa por comer pratadas descomunais de sopa, refeição e fruta. Se ficar em casa desarruma todas as divisões por secções. Irrita-se com facilidade. Não quer dormir (isto por acaso, é quase todos os dias). Quando chega à noite, prepara-se para a maratona de biberões, no máximo aguenta três horas sem comer (e, estou a ser tão optimista com este número).

Para quem me pergunta de como lidar com os ‘picos de crescimento’ aqui ficam dois truques:

1. Calma (esta serve para tudo o que se relaciona com bebés)

2. Prepara-te para dar de mamar no mínimo 12 horas por dia ou reforça o stock de latas de leite lá em casa.

São apenas de dois dias a uma semana por isso coragem mamãs, tudo vai voltar à rotina. O S. começou na quinta-feira, na pior das hipóteses tenho mais quatro dias pela frente.

Ah e as mamãs que defendem que isto dos ‘picos de crescimento’ são um mito urbano, são convidadas a passar uns dias lá em casa, é sempre bom ter mais uma mãozinha a fazer biberões.

Comentários

Sandra
Author

3 Comments

  1. Sofia Oliveira Reply

    Já te disse que não sei o que isso é, não já?

    O Kiko dorme que se farta, come muito bem e sai a mim na arrumação 🙂

  2. bakuarela

    Claro que os picos de crescimento existem! Não foram as enfermeiras e os médicos que te falaram neles? 😉
    Existem é bebés que não os vivem tão intensamente como o S. 😉

Write A Comment