Alguns dentistas dizem que se deveria retirar a chucha até aos dois anos de idade. A minha pediatra falou-me nos três anos. Ou seja, parece-me que o ideal será ali entre os 2 e os 3 anos de idade.

Ora bem, o Sebastião tem 3 anos e meio, está o dia todo na creche sem a chucha e assim que chega a casa, ou ao carro, a primeira coisa que pede é a ‘né’ (os miúdos chamam muitas coisas estranhas às coisas).

Nós bem o distraímos e umas vezes somos bem sucedidos mas, sinceramente, a maior parte das vezes é uma guerra.

Tentámos já várias técnicas.

Técnica ‘Explicação’

A chucha na boca não deixa os teus dentes crescerem bem, eles precisam de espaço para crescer como tu.

Técnica ‘Doação’

Vamos dar a chucha aos outros bebés? Eles ainda são muito pequeninos e ainda precisam.

Técnica ‘Natureza’

Vamos pendurar aqui neste árvore/Vamos pôr dentro desta caixa/ Vamos oferecer ao cão/gato/patos/pavão

Técnica ‘Suborno’

Podes trocar as tuas chuchas por uma prenda grande!

Não, nenhuma resultou connosco.

No fim-de-semana usei a derradeira técnica.

Técnica ’Mãe passada da cabeça’

Já te disse que não quero que andes com a chucha. Tira já isso da boca!

Acompanhada por um rapto das chupetas.

O resultado?

Choro alto e gritos durante meia-hora.

Neste momento pensei, vou ser firme, se aguentei até agora também aguento mais um bocado, ele deve estar quase a desistir.

Mas não, o choro vou subindo cada vez mais de tom. Começou o desespero.

Ele quando se enerva muito começa com a cara muito vermelha e com vómitos.

Foi neste momento que caí em mim.

O que é que eu estava a fazer? Isto era o melhor para ele?

Tenho a certeza absoluta que não.

Por isso, no momento certo ele vai largar a chupeta.

Aconteceu assim com o dormir e com as fraldas.

Já devia ter aprendido.

Comentários

Sandra
Author

Comments are closed.